jueves, 3 de enero de 2008

UM EM CADA QUATRO PORTUGUESES DIZEM TER DIFICULTADES

Só 7% dos espanhóis dizem ter dificuldades depois de adquirirem o essencial. Um em cada quatro consumidores portugueses refere que fica sem dinheiro disponível depois de cobrir as suas despesas essenciais. Esta é uma das conclusões do último inquérito mundial da Nielsen sobre a confiança dos consumidores. A seguir a Portugal, os países que mais se vêem afectados por este problema são a Alemanha, a Bélgica e os holandeses.
Isto acontece num cenário, a nível mundial, em que um em cada oito (13%) dos consumidores disse «não sobrar dinheiro» depois de comprar os bens essenciais. «Um dos aspectos mais visíveis, e preocupantes, no comparativo com outros países é o facto de Portugal ser das nações cujos consumidores mais referem ficar com a carteira vazia (26%) depois dos seus gastos essenciais, bem acima da média europeia (16%) e, por exemplo, dos nossos vizinhos espanhóis, um dos países na linha da frente, com apenas 7% a referirem essa condição», refere o «managing» director da Nielsen em Portugal, Francisco Neto de Carvalho.
Estudo concluiu que quatro em dez acreditam numa recessão em 2008 Portugal continua na cauda da Europa no que diz respeito à confiança dos consumidores. Estes preparam-se para uma recessão a nível mundial nos próximos 12 meses, com mais de metade da população muito preocupada com o desemprego e a inflação. A preocupação crescente e generalizada acerca da crise dos «subprime» nos EUA, que continua a afectar os mercados financeiros na Europa e na Ásia, a subida do preço do petróleo e a expectativa generalizada de uma recessão mundial nos próximos 12 meses levaram a uma queda da confiança dos consumidores nos últimos seis meses.