viernes, 20 de julio de 2007

CALOTES DE FAMILIA À BANCA BATEM NOVO RECORDE

O montante de crédito malparado nos empréstimos concedidos pela banca aos particulares portugueses bateu um novo recorde.Em Maio, os calotes das famílias à banca chegaram aos 2,235 mil milhões de euros, revela o boletim estatístico do Banco de Portugal, ontem divulgado.Hoje, o «Correio da Manhã» diz que a subida dos juros está a ter consequências devastadoras nos orçamentos das famílias endividadas.Em Maio último, a taxa de juro média do empréstimo à habitação em Portugal rondava os 4,63%, o que compara com a taxa de 3,93% de há um ano.A subida da taxa de juros, uma tendência que se irá agravar no decorrer deste ano, está a travar a concessão de novos empréstimos, mas o ritmo de crescimento ainda é significativo.Entre Abril e Maio deste ano, o volume de crédito malparado aumentou em 50 milhões de euros, o que significa uma média diária de acréscimo de 1,6 milhões de euros.A percentagem do crédito de cobrança duvidosa já representa 1,86 do total dos empréstimos concedidos pela banca aos particulares.